sexta-feira, 25 de abril de 2008

O rato não roeu a roupa do rei de Roma (em pedacinhos...)


O rato roeu
o manto e a coroa,
o trono e a pompa
das filhas do rei.
Roeu o aplique da Rapunzel,
mordeu a isca da sereia Ariel.
Roeu o colchão da Princesa e a Ervilha,
da Cinderela, o salto e a palmilha.

Roeu o capuz da Chapeuzinho
e o olho-mágico dos Três Porquinhos.
Roeu o país de uma enlouquecida,
e o despertador da Adormecida.
(Alice, a curiosa menina brejeira
e a dorminhoca que não era feia).

Roeu o coração da Rainha de Copas,
passou bem longe do Gato de Botas,
roeu a maçã da bruxa malvada
antes da Branca cair desmaiada...
Roeu a Roupa Nova do Imperador,
e o trem de pouso do tapete voador.

Lambeu a unha do Pequeno Polegar,
do príncipe encantado, espuma de barbear.
Mas o rato saiu mais forte do que nunca,
depois de roer tanta coisa junta:
roeu veneno,
roeu as horas,
roeu chulé e um colchão de molas!


(continua amanhã...)

Um comentário:

Beatriz Levischi disse...

Ai, como eu queria ter essa criatividade toda... rs
Até fiz um post no Gatoca sobre o assunto: http://gatoca.blogspot.com/2008/04/gatoca-no-mundo-encantado-da-literatura.html. :)
Beijos